Segurança no Trabalho: uma questão de atitude


Grandes aliados dos trabalhadores na luta por sua proteção no trabalho, o técnico e o engenheiro de Segurança do Trabalho são homenageados desde 27/11/1985, data em que ambas as profissões foram regularizadas pelo Ministério do Trabalho, por meio da Lei n. 7.410.

Funções

O técnico de segurança do trabalho tem como objetivo atuar com a prevenção de acidentes de trabalho. Para isto, ele precisa conhecer e atuar dentro da legislação específica voltada para a área da saúde e segurança dos trabalhadores. É ele quem emite pareceres técnicos à empresa e aos trabalhadores, sobre os fatores de riscos de acidentes e doenças do trabalho, orientando-os sobre como eliminá-los. Para isto, o técnico executa ações de segurança e programas preventivos, sempre com a participação dos funcionários, avaliando os resultados dessas iniciativas, promovendo capacitação e orientação a terceiros quanto às normas de SST (Segurança e Saúde do Trabalhador).

O engenheiro, por sua vez, estuda as condições de segurança dos locais de trabalho, das instalações e das máquinas e equipamentos, identificando seus pontos de risco e projetando dispositivos de segurança; planeja e desenvolve a implantação de técnicas relativas a gerenciamento e controle de riscos, vistoria, avalia e indica medidas de controle sobre o grau de exposição a agentes agressivos de riscos físicos, químicos e biológicos. Também analisa riscos, acidentes e falhas, investigando causas e propondo medidas preventivas e corretivas, entre outras competências.

Técnico ou engenheiro, todos são prevencionistas

Tanto o técnico como o engenheiro buscam assegurar condições dignas de saúde e segurança aos trabalhadores. Apesar de funções distintas, ambos assumem atividades que se complementam no dia a dia da prevenção de acidentes na empresa.

Em muitas empresas, eles também atuam como prestadores de serviços ou consultores. Resumindo, os prevencionistas, como também são chamados os profissionais de SST, tem como meta garantir o bem-estar no ambiente de trabalho, zelando pela integridade física e mental do trabalhador. Desta forma, eles auxiliam o empregador, criando um ambiente laboral favorável às normas regulamentadoras que estabelecem a obrigatoriedade de serviços e programas relacionados à saúde e segurança no trabalho.

Como se tornar um profissional de Segurança do Trabalho

Quem tiver interesse ou vocação para se tornar um técnico em Segurança do Trabalho pode optar por um dos vários cursos oferecidos em escolas públicas e particulares. A profissão é uma boa oportunidade de emprego, pois o mercado costuma absorver bem esses profissionais, especialmente aquele que está sempre buscando soluções criativas e cumprindo as normas de SST à risca, a fim de evitar falhas e acidentes. Também há diversas faculdades voltadas para a área, para quem quiser investir em um nível mais elevado, como o de engenheiro do trabalho, por exemplo.

Abaixo, algumas instituições idôneas que oferecem o curso:

PRONATEC

SENAC

SENAI

Uma questão de atitude

No Grupo Farrapos, Segurança e a Saúde Ocupacional são prioridades, visando à prevenção de acidentes e doenças do trabalho, contribuindo diretamente para a melhoria da qualidade de vida dos profissionais, por meio de programas de promoção de saúde, conscientização e sustentabilidade.

O Programa’ Segurança, uma questão de atitude’ implantado pela empresa contempla ações de sensibilização, orientação e educação voltadas para manter um ambiente seguro e livre de doenças e acidentes no trabalho.

Para realizar as ações implementadas, a operadora conta com um técnico de Segurança do Trabalho, que realiza o acompanhamento das atividades e promove a conscientização da máxima: “Segurança no Trabalho é responsabilidade, direito e dever de todos”.

No programa, é feito o controle rigoroso dos exames admissionais, periódicos e demissionais, em clínica terceirizada, especializada em atendimento ocupacional, além da aquisição e entrega de EPI’s e EPC’s de fornecedores credenciados e dentro dos padrões de qualidade.

Também são realizadas, anualmente, no mês de julho, as SIPATs (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho), com ações que envolvem desde vacinação e aferição de pressão e glicemia dos colaboradores a palestras de ergonomia, alimentação e hábitos de vida saudáveis.

O Grupo Farrapos também conta com a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), promovendo o acompanhamento constante das atividades do ‘Farrapiano’ em cada função, fazendo rondas periódicas em que são analisadas as condições do trabalho em geral, bem como realizando o registro nas reuniões mensais, onde são validadas as solicitações de melhoria do ambiente e encaminhadas para análise e posterior implementação.

Finalizando, a empresa possui equipe de Brigada de Incêndio, com trabalhadores capacitados e prontos para agir de forma eficaz e eficiente no caso de qualquer acidente.

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags

© 2016 por Grupo Farrapos.