Mulheres, jovens e aposentados buscam o mercado de transporte rodoviário


A escassez de motoristas profissionais tem levado as transportadoras ao ‘garimpo’ de novos perfis no mercado, para comporem suas equipes. Motoristas experientes buscando as melhores empresas do ramo, autônomos ou até mesmo alguém sem tanta experiência mas com bastante talento e vontade de exercer a função. Simplificando, essas empresas procuram pelos melhores e mais brilhantes para adicioná-los à sua família de condutores. Nesta busca, o mercado tem observado atualmente 3 tipos de pessoas que se tornam motoristas de caminhão. Você se encaixa em algum deles?

Ao longo dos anos, pessoas dos mais diversos meios são vistas abraçando a carreira de caminhoneiro, cheias de entusiasmo. Elas vêm de todos os setores. Isso tem levado as empresas a darem um passo atrás e considerar que tipo de pessoa está atualmente mais propensa a assumir o volante de um caminhão. Curiosamente, pesquisas feitas informalmente por muitas transportadoras indicam que não há um tipo de personalidade única ou demográfica que componha a maior parte desses novos motoristas, mas há algumas tendências bastante visíveis.

Você já está pensando em se juntar ao time de motoristas de alguma grande empresa? Se sim, quais são seus objetivos de carreira? Talvez você se encontre entre um dos três grupos de pessoas abaixo, que parecem estar entrando em maior número nesta profissão um tanto quanto aventureira.

GRUPO 1 – Motoristas femininas à procura de algo diferente

Um dos objetivos mais interessantes para recrutadores agora é o esforço para contratar mais motoristas do sexo feminino. Afinal, as mulheres foram muito pouco representadas no transporte, desde que o setor começou a registrar dados de mercado, décadas atrás.

Nos últimos anos, tem-se observado um número maior de mulheres entrando na indústria de transporte em busca de algo diferente. Não mais satisfeitas em aceitar os tipos de trabalho que teriam feito no passado, as mulheres estão pegando a estrada por algumas das mesmas razões que seus colegas do sexo masculino: elas não querem ficar confinadas a um escritório, amam a liberdade da estrada e procuram um pouco de aventura em um trabalho onde ainda paga-se bem.

GRUPO 2 – Motoristas de segunda carreira

Outro fator importante para este setor são os trabalhadores que se viram vítimas do downsizing das empresas onde trabalhavam. Muitos deles chegaram a um ponto da vida em que não desejam voltar à escola para obter um diploma ou aprimorar o que possuem atualmente. A condução de caminhões oferece uma maneira de voltar à força de trabalho muito rapidamente e sem muito esforço financeiro.

Além dos demitidos, existem ainda aqueles homens e mulheres que se aposentam cedo para começarem a usufruir de seus benefícios de aposentadoria. Depois de um tempo, eles percebem que não gostam de ficar ociosos, então se voltam para a direção de caminhões como uma segunda carreira. Muitas empresas costumam recebê-los de braços abertos. Alguns dos melhores condutores do setor são esses motoristas da segunda carreira.

GRUPO 3 – Jovens começando a carreira

Por último, mas não menos importante, são os jovens que estão apenas começando suas carreiras. Alguns entram no transporte porque a ideia de cruzar o país dirigindo atrai seu senso de aventura e independência. Outros escolhem a profissão de caminhoneiro porque sabem que podem ir direto da escola para o trabalho com apenas um curto período de treinamento. Outros ainda fazem a transição para o transporte rodoviário porque conhecem amigos ou parentes que prosperaram nesse trabalho.

Independentemente do motivo, a condução de caminhões oferece uma oportunidade excelente para os jovens que não estão interessados ​​em seguir uma carreira que exija um diploma universitário. A direção profissional de caminhão paga bem, costuma oferecer segurança de trabalho inigualável e inclui muitas oportunidades. É ideal para o jovem que está pronto para começar a trabalhar agora.

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags