Chimarrão de fácil preparo, sem perder o sabor, o ritual e a tradição


Hoje comemora-se o Dia do Chimarrão. Quem nasceu no berço da tradição desta bebida sabe que o que o diferencia das outras feitas com mate é o refino na hora do seu preparo. Ou seja, saber a quantidade certa de erva e a temperatura ideal da água, não adicionar aditivos, entre outras recomendações, são fundamentais para não alterar o seu sabor.

Chimafácil

Por isso, nem todo mundo é mestre em preparar um bom chimarrão. Mas como se aventurar a modificar o modo de preparo desta bebida, sem descaracterizá-la? Afinal, é preciso facilitar a vida de quem deseja iniciar-se neste hábito que, a cada dia, cresce mais em todas as regiões do nosso país.

Desta necessidade surgiu o ‘chimafácil’ – um dispositivo desenvolvido por dois gaúchos, que ajuda o preparo do mate tradicional por qualquer pessoa, de forma eficiente e saborosa. Funciona assim: posiciona-se uma plaquinha dentro da cuia (há no mercado em diversos tamanhos, de plástico e metal), no centro dela. A erva é então adicionada de um lado, e a água quente do outro. Após alguns segundos, basta retirar a plaquinha e a bebida está pronta, com a quantidade certa de erva e água, além do montinho de mate colocado de forma correta. Para finalizar, é só inserir a bomba e aproveitar!

Os inventores do ‘chimafácil’ garantem que este tipo de preparo evita sujeira, desperdício e possibilita recuperar um chimarrão perdido pelo desmoronamento do ‘montinho’. Fica a dica para quem deseja renovar a tradição sem alterar o sabor e o ritual que todo bom chimarrão deve ter.

De onde vem o chimarrão

Dos índios, da região Sul do Brasil e de parte da América do Sul, o hábito de tomar erva-mate com água quente em uma cuia tornou-se símbolo de fraternidade, hospitalidade e tradição. Fora do país, a erva é muito apreciada no Uruguai, Paraguai e na Argentina. No Brasil, o chimarrão é bastante consumido, principalmente em Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul, onde ele é parte importante da cultura e da identidade do povo.

Curiosidades

Para beber em casa com a família ou em rodas de amigos, o chimarrão é uma bebida perfeita para muitas situações. Em comemoração ao seu dia, listamos abaixo algumas dicas sobre como aproveitar melhor uma das bebidas mais tradicionais do Brasil.

> Cuia nova - Se a cuia é nova, lave-a com água fria, deixando o seu interior úmido. Coloque uma colher de erva-mate seca, mexendo-a para que grude na cuia. Repita a operação a cada 4 horas, por no mínimo duas vezes. Após o término de cada operação, lave a cuia e deixe-a secar à sombra, na posição horizontal;

> Energético – a erva-mate é muito recomendada para vários tipos de dieta, pois é revigorante e energizante, sustentando as forças do corpo durante todo o dia;

> Reúne gerações – uma roda de chimarrão é um ritual indispensável para reunir pessoas de diferentes idades, podendo ser tomado ‘solito’ (sozinho), em parceria (com mais uma pessoa) ou em roda (em grupo);

> Ao passar a cuia a outra pessoa ou recebê-la, faça com a mão direita;

A temperatura da água para preparar o mate deve estar entre 80 e 85 graus. Se estiver muito quente, a erva pode queimar e causar um sabor ruim;

> Em roda de mate, quem começa a rodar o mate é a pessoa mais velha ou alguém que esteja sendo homenageado;

> Ao terminar de tomar o mate, faça-o até a cuia ‘roncar’. É de praxe.

Veja abaixo uma mostra dos tipos de mate dispostos na cuia:

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags

© 2016 por Grupo Farrapos.