3 dicas para desenvolver 'presença' em um mundo hiperativo


Apesar dos cientistas ainda não terem chegado a um acordo quanto à definição exata do pensamento, acredita-se que produzimos cerca de 70 mil deles por dia. Portanto, é muito natural que, eventualmente, nossa mente vagueie distraidamente durante uma sessão de treinamento, mesmo se você for o treinador! Mas isso pode ser um problema.

Na verdade, todo e qualquer ambiente gera demandas constantes por nossa atenção. Por isso, a presença é uma das mais importantes competências se você vai treinar alguém – uma equipe de trabalho, os colegas da faculdade etc.

Sem ela será difícil demonstrar outros talentos, como estabelecer confiança e intimidade, saber escutar, fazer questionamentos relevantes e muito mais. Os coaches profissionais geralmente descrevem a presença como um estado em que se está nem total conexão com o fluxo da conversa.

A coach Susan Sadler, articulista do blog do International Coach Federation (ICF), relata que presença é algo demonstrável e observável, sendo uma combinação de habilidades. Mas como continuar a desenvolvê-la, quando as expectativas, distrações e demandas do mundo se movem a uma velocidade vertiginosa?

A mentalidade de um treinador, antes e durante uma sessão de treinamento, é primordial. Presença é, entre outras coisas, acalmar a mente e estar aberto a tudo o que aparece e se desdobra. É saber ouvir, ser livre de julgamentos, ter mais compaixão e não se apressar para uma solução. É, naquele momento, estar confortável com o ‘ser’ e não necessariamente com o ‘fazer’.

Embora a presença esteja bem definida nas Competências Essenciais da IFC, sua demonstração pode parecer um tanto nebulosa. Se o silêncio é uma parte importante desta competência, como nos manter sintonizados? Aqui estão três dicas para desenvolver sua presença como treinador:

1) Atenção plena

Desenvolva atenção plena (mindfulness) livrando-se de distrações, explorando aquilo que acalma sua mente, levando esta experiência para o contexto do treinamento. A atenção ajuda a limpar mais rapidamente a mente sob pressão, sendo fundamental para o desenvolvimento de presença. A meditação, por exemplo, é algo que permite desenvolver esta habilidade.

2) Aprendizado contínuo

Um aspecto importante para o desenvolvimento profissional de um treinador é o aprendizado contínuo. Um artigo recente sobre aprendizagem na Harvard Business Review sugere que “através do uso deliberado de práticas e estratégias dedicadas a melhorar a nossa capacidade de aprender, todos podemos desenvolver competências de forma mais rápida e eficaz. Em suma, todos podemos melhorar para melhorar.”. Não há linha de chegada. Seja você um treinador novo ou experiente, você estará sempre aprendendo e evoluindo.

3) Aceitação de si mesmo

Treinadores não são robôs. Tenha por si mesmo a mesma compaixão e aceitação que você tem pela sua equipe. Reconheça que você está fazendo o melhor trabalho possível naquele momento. Seja gentil consigo mesmo. Se você ainda não estiver fazendo isso, reserve um tempo para pausar, respirar e refletir. Concentre-se no que você fez bem e aprenda para a próxima vez.

Finalmente, não fique focado apenas em soluções e ansioso demais por mostrar à equipe o seu valor. Sua presença deve ser seu verdadeiro dom. Sim, brainstorming, estratégias e táticas são importantes, mas o que move e inspira as pessoas é a sua presença. Se você preparar sua mente antes de treinar, desenvolver e aprimorar suas habilidades de presença, ela continuará a florescer. Confie, ela será suficiente.

Conteúdo traduzido e adaptado por Claudia M Rachid

Fonte: blog da International Coach Federation

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags