Saia da sua ‘zona de conforto’, cresça e seja mais feliz no trabalho


Há muitas nuances na delicada relação entre empresa e colaborador. A principal, e talvez a mais clara, seja aquela relacionada a o que a empresa espera do funcionário. Porém, há outra questão, pouco observada, que diz respeito somente ao profissional consigo mesmo: ‘o que ele espera de si mesmo no seu trabalho?’.

Quando não conseguimos encontrar uma resposta suficientemente clara e satisfatória podemos ser remetidos, com o tempo, a um lugar triste e perigoso, chamado ‘zona de conforto’, onde repetimos padrões e comportamentos, por medo do novo. Neste lugar psicológico, tendemos a fazer apenas aquilo que não nos causa ansiedade e que não ameaça a nossa ‘estabilidade’.

O pior é que, geralmente, quem está nesta situação não tem plena consciência dela. A vida na empresa vai passando naquele ‘sofá aconchegante’, sem nem mesmo olharmos para o lado, enquanto o mundo lá fora avança rumo às inovações e mudanças. Como resultado, começamos a reclamar que não somos promovidos ou que não somos valorizados, ficamos acomodados, desinteressados por atualização e capacitação profissional e deixamos de dar atenção à criatividade e ao bom humor, dois fatores importantíssimos para quem quer crescer dentro de uma organização hoje em dia.

Mas não se preocupe. Há meios e um bom motivo para sair de uma ‘zona de conforto’: crescer e ser mais feliz no trabalho. Mas é preciso saber identificar os sinais de que você está ‘confortável demais’. Confira:

#1. Sua carreira está empacada

Você vive reclamando de que nunca consegue uma promoção; não sente – ou não vê – nenhuma necessidade de se atualizar ou mostrar um trabalho de maior qualidade, e não consegue entender, no fim do dia, porque é que não está sendo valorizado.

#2. Você se sente triste ao acordar

Ir para o trabalho se tornou uma lástima? Esse é um sinal piscando em vermelho de que você vive na zona de conforto. Não é porque ela não te causa medo que ela não tenha o poder de te deixar triste.

#3. Ninguém vê propósito no que você faz

Se você não consegue explicar o que te motiva nos seus dias, seja pelo lado profissional ou pessoal, é bem provável que tenha caído em um limbo de conforto sem fim.

#4. Seu dinheiro termina antes do mês

Quem tem metas de curto, médio ou longo prazo na vida, seja comprar um novo aparelho telefônico ou se mudar de país, começa a gerir suas finanças de forma mais responsável – e fica feliz ao fazer isso, pois está olhando mais a frente. Quando não temos nenhuma meta a perseguir, gastamos tudo o que ganhamos com coisas das quais nem iremos lembrar daqui a uma semana. Você pode até pensar que seu salário termina antes do dia 30 porque ele é muito pequeno, mas a resposta correta pode ser sua zona de conforto.

#5. Você não produz com eficácia

Seus colegas, seu chefe e sua família andam dizendo que você já teve melhores momentos? Se você se sente tão desmotivado a ponto de não produzir o que quer que seja com a mesma excelência de antes, isso pode significar que você está confortável demais. Não seja essa pessoa.

Enfim, liberte-se! Descubra seus talentos, dedique-se àquilo que te faz se sentir mais valorizado, mais necessário na empresa e agarre novas oportunidades com todo seu potencial!

Conteúdo: Claudia M. Rachid

Conteúdo de apoio: Profissas

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags

© 2016 por Grupo Farrapos.