DT-e simplificará operação de transporte e pode aumentar o PIB do setor em até 20%


Lançado nesta segunda-feira (27) pelo Ministério da Infraestrutura, o projeto-piloto do Documento Eletrônico de Transporte, o DT-e, é mais uma motivação para transportadoras e motoristas autônomos que já atuam no mercado de Transporte e Logística, e também para quem pretende investir neste segmento.

A fiscalização eletrônica da situação do veículo por meio da sua identidade automática deverá diminuir a burocracia e aumentar o PIB do setor em até 20%. Isto significa o fim das longas filas de caminhões e menos horas nas paradas dos postos de pesagem e nas operações de fiscalização, otimizando tempo e ganhando em produtividade.

Como funciona o DT-e

O monitoramento feito pelo DT-e lê as placas e os dispositivos de rádio-frequência (TAGs), cruzando instantaneamente as informações de vários bancos de dados. O projeto unificará cerca de 20 documentos exigidos para operações de transporte de carga no país, disponível em um aplicativo de celular. Além disso, ele conectará o transportador e o embarcador, facilitando a vida do caminhoneiro.

O sistema DT-e é regulado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e já funciona em 55 pontos de rodovias concedidas no país, utilizando balanças eletrônicas para pesagem em alta velocidade. As rodovias federais também estarão contempladas no projeto.

Conteúdo: Grupo Farrapos

Fonte de pesquisa: Ministério da Infraestrutura

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags