Manual para brincar o Carnaval sem excessos – leia e caia na folia!


Bebidas alcoólicas, fast food e muito calor estão quase sempre presentes durante os quatro dias de Carnaval. Mas o excesso de álcool, má alimentação e super exposição ao sol podem acabar com a farra de quem vai brincar na festa mais alegre e compartilhada do país.

Ressaca, mal-estar, enjoo, desidratação, azia, má digestão, insolação são alguns dos problemas que acometem os foliões menos atentos à saúde nesta época.

Como evitar esses problemas no Carnaval:

1. Evite mal-estar e ressaca, não ingerindo bebidas alcoólicas. Se não for possível, coma antes de beber e opte por bebidas de baixo teor alcoólico (cerveja light ou vinho branco). Beba água ou suco de frutas entre uma dose e outra. O álcool incha o cérebro e inflama e desidrata as células, causando o famoso mal-estar, com dor de cabeça e enjoo.

2. Evite desidratação, bebendo bastante água. Com o calor, a falta dela pode levar à desidratação, que ocorre quando a perda de líquido é igual ou maior que 1% do peso corporal. Exemplo: se você pesa 70 kg e perde 700 ml de líquido, já é um quadro de desidratação moderada. A desidratação também está relacionada à perda dos sais minerais presentes na água.

Sintomas da desidratação:

Na desidratação leve e moderada, a pessoa apresenta muita sede, boca e pele ressecadas, olhos fundos, diminuição de lágrimas e suor, sonolência, dor de cabeça, cansaço, fraqueza e tontura. A desidratação grave causa perda de consciência, queda de pressão arterial, convulsões, coma e até falência dos órgãos.

Como evitar?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a quantidade ideal para o consumo diário de água é de 2,5 L para um homem de 70 kg e 2,2 L para uma mulher de 58 kg. A água e/ou sucos naturais, devem ser consumidos em pequenas porções durante todo o dia, não somente quando sentir sede. Em casos de desidratação rápida, como diarreia, a ingestão de isotônicos ajuda, assim como as soluções de reidratação oral e soro caseiro.

3. Evite insolação, protegendo a si mesmo e, principalmente, as crianças do sol e do calor intenso. Ela acontece quando a temperatura do corpo ultrapassa os 40 graus C, fazendo com que o mecanismo de transpiração falhe e o corpo não consiga se resfriar.

Sintomas da insolação:

A temperatura do organismo aumenta e há perda de água e nutrientes importantes. Se não tratada, pode causar danos ao cérebro, coração, rins e aos músculos. Sintomas mais comuns: cefaleia (dor de cabeça), tonturas, náusea, pele quente e seca (sem suor), às vezes avermelhada, pulso rápido, palidez, distúrbios visuais, fraqueza muscular, confusão, desmaios e até convulsões.

Como evitar?

Não fique sob o sol entre as 10 e as 16 horas; use boné ou chapéu, roupas leves, de cores claras e que não fiquem apertadas ao corpo; use protetor solar com FPS 30 ou mais e evite queimaduras na pele; beba muitos líquidos, para evitar a desidratação. Prefira água, água de coco e sucos de frutas naturais. Cuidado com os momentos mais quentes do dia (das 11h da manhã até as 15h da tarde), bebendo bastante água e tentando permanecer à sombra.

4. Evite queimaduras, tomando cuidados com a exposição excessiva ao sol. A maioria das pessoas tende a esquecer de usar o protetor solar ou usá-lo de forma incorreta, aplicando muito menos que a dose recomendada, de 2mg/cm2. Isso acaba reduzindo a proteção solar, que varia de 20% a 50% do Fator de Proteção Solar (FPS) indicado no rótulo do produto.

Sintomas de queimadura de sol:

Lábios, olhos, couro cabeludo e lobos da orelha também podem sofrer queimaduras. Elas se manifestam desde uma pele avermelhada e quente, sensível e dolorosa ao toque, até pequenas bolhas com líquido dentro. Nos casos mais graves, podem vir acompanhadas de dor de cabeça, febre, calafrios e fadiga.

Como evitar?

Se o folião exagerar na exposição solar, as loções pós-sol podem ajudar a aliviar os sintomas, acalmando e hidratando a pele, diminuindo a ardência, a dor e a vermelhidão, permitindo que a pele se recomponha da agressão sofrida pelo sol.

5. Evite má digestão, mantendo uma alimentação saudável durante os dias de festa e descartando os fast foods (hot-dogs, pizzas, sanduíches, salgadinhos de rua etc.).

Sintomas da má digestão:

Gases, flatulência; azia e queimação; arrotos frequentes; enjoos e vômitos; sensação de estômago cheio, mesmo após ter comido pouco, diarreia ou prisão de ventre; cansaço.

Como evitar?

Prefira consumir lanches leves e nutritivos, sem gordura e que não estraguem fora da geladeira, como os sanduíches naturais; frutas frescas e desidratadas; snacks rápidos e leves, como castanhas, amendoim ou amêndoas, cookies integrais, barrinhas de cereal, biscoito de polvilho e torradinhas integrais; água e sucos de frutas naturais (banana, pera, maçã, goiaba).

6. Evite passar pelo Carnaval sem dormir, evitando ficar acordado até de manhã. Programe-se para ter boas noites de sono e horas de sono suficientes para recuperar seu organismo do cansaço da folia.

Bom Carnaval, sem excessos!

Siga
  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon
Assine
Tags